Comunicação, Sustentabilidade, Negócios e Tecnologia.

4G no Brasil

A quarta geração de celulares (4G), permite que smartphones e tablets se conectem à Internet com uma velocidade até quatro vezes maior que o 3G, padrão atual do Brasil. Assim, os consumidores poderão assistir vídeos em HD pela Internet, terão aplicativos mais elaborados, poderão jogar em rede e realizar videoconferências. O mercado publicitário também terá mais recursos para a publicidade em aplicativos móveis.

Com dois grandes eventos internacionais para sediar nos próximos anos (Copa do Mundo em 2014 e Olimpíada em 2016), o governo brasileiro colocou as empresas de telecomunicação contra a parede obrigando-as a oferecer o serviço 4G em 2013.

O primeiro leilão do sistema 4G realizado no país, pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), teve a participação das quatro grandes operadoras. Dos 269 lotes colocados à venda, apenas 54 foram vendidos, onde a Vivo e a Claro ficaram com os mais caros, de R$ 1,05 bilhão e R$ 844 milhões respectivamente; a TIM e a Oi ficaram com fatias menores, de R$ 340 milhões e R$ 330 milhões. No fim da história, a Anatel arrecadou, neste leilão, R$ 900 milhões abaixo do previsto.

No Brasil, o 3G ainda não atingiu todo o seu potencial e as teles não conseguiram todo o retorno esperado sobre o investimento de sua implementação. Para piorar a vida das grandes operadoras, a Anatel impôs uma obrigação: elas terão de oferecer banda larga em áreas remotas do Brasil, isso porque não houve um interessado em arrematar estes lotes no leilão do 4G.

E para os consumidores, vai ser bom? Se partirmos do ponto da qualidade da internet, sim. Mesmo iniciando com velocidade de 5 a 12 Mbps, muito abaixo dos 100 Mbps que o 4G atingiu em laboratório, já é um avanço se compararmos aos serviços atuais que não passam de 3 Mbps. Até mesmo se formos comparar aos planos residenciais de internet banda larga, que ainda são fracos e caros em nosso país, o 4G já terá uma boa velocidade. Muita gente que contrata um serviço de banda larga não tem velocidade maior que 3 Mbps. Chega a ser forçado chamar uma velocidade de 3 Mbps de “banda larga”! Na Alemanha, a Vodafone oferece internet 4G com velocidade máxima de até 50 Mbps.

Tudo isso seria bom para os consumidores se no Brasil, se os serviços oferecidos pelas empresas de telecomunicação funcionassem bem e tivessem um valor justo. Atualmente as operadoras TIM, Claro e Oi estão proibidas de vender novas linhas, em alguns estados, por não oferecerem um serviço de telefonia de qualidade e isso porque no momento a telefonia é o principal serviço oferecido por elas. Imaginem como será o serviço de Internet!

Quanto ao valor, só pra ter uma ideia, a Vodafone oferece em Portugal serviços bem mais em conta do que os que temos aqui, como o plano de 225 min. ou SMS para todas as operadoras + 1 GB de Internet no celular por €30,93/mês (o equivalente, hoje, a aproximadamente R$ 76,40). No Brasil, planos inferiores são bem mais caros.

Fontes:
Revista Época Negócios Nº 65.
https://loja.vodafone.pt/tarifarios/planobest/

Deixe um comentário para: "4G no Brasil"